Coletânea termos e frases ciganas

COLETÂNEA DE TERMOS CIGANOS Viagem filosófica ao mundo dos ciganos
Textos e verbetes corrigidos por Asséde Paiva
Rev. Acir Reis
Sabedoria: Discernimento inspirado nas coisas sobrenaturais e humanas.
SABEDORIA DO POVO CIGANOTrata-se de coletânea de frases feitas, trovas, provérbios, juramentos, mandamentos, e outros temas que se originam da sabedoria do povo cigano ou a ele creditado. São apanhados em livros, dezenas de revistas e extensa pesquisa na Internet. Quando possível, daremos o original em romani ou calom, seguido da tradução para o vernáculo. Incluiremos apenas algumas trovas ou quadrinhas e, preferencialmente aquelas que estão no original da língua romani ou calom, com a respectiva tradução. Informamos que Melo Morais Filho (MMF) anotou em seu Cancioneiro cigano centenas de trovas e lá consta que ele coligiu cerca de 5.000; a ele remetemos quem quiser lê-las. Claro que uns e outros vão dizer que os pensamentos pertencem a outras etnias e é verdade, em parte, pois os pensamentos são universais e integram o inconsciente coletivo da humanidade. Os ciganos, são componentes/elementos desta humanidade, e têm o direito de difundir a sabedoria dos povos que eles conheceram, ao peregrinar, por milênios, por todo Planeta Azul, fazendo dele sua Pátria.. Fica registrado também que não abordaremos neste trabalho as habilidades místicas de leitura da buena-dicha pelo povo cigano. Sobre este tema, muitos livros já foram escritos. Assim, quiromancia, cartomancia, tarô e outras formas de leitura do destino serão encontrados em livros específicos do gênero. Aliás, aqui sugiro o livro da líder cigana, Mirian Stanescon: Lila Romai, cartas ciganas. Existem muitos outros nesta seara.
Thie Avel hertô = Que Deus te salve e guie!Abreviaturas que indicam o nome do autor e suas obras de onde tiramos os textos.
AC = Adolfo Coelho. Os ciganos de Portugal.CA = Claire Auzias. Os ciganos.
CC = Clemente Cimora. Los gitanos.
CCP = Cristina da Costa Pereira. Povo cigano.
CGL = Charles Godfrey Leland. Magia cigana.
GB = George Borrow. Os ciganos (Os zíngaros ou uma descrição dos ciganos de Espanha).
MMF = Mello Morais Filho. Os ciganos no Brasil, e cancioneiro dos ciganos.
MS = Mirian Stanescon. Lila Romai, cartas ciganas.
NI = Fonte não identificada.
OM = Oswaldo Macedo. Ciganos, natureza e cultura.
ON = Olímpio Nunes. Os ciganos.
PD = Pierre Derlon. Tradições ocultas dos ciganos.
PM = Prosper Merimée. Carmen.
RB = Raymond Buckland. Magia e feitiçaria dos ciganos.
RR = Renato Rosso. Ciganos uma cultura milenar.SCN = Solange de Castro Neves. Maktub, assim estava escrito.
COLETÂNIA• Nais tuke - obrigada• gestena - obrigada
• Me Volis Tu - Eu te amo
• Kamav tu - Te amo
• murri shukar - minha linda
• tchumidau thio ilo - beijo no seu coração
• morro volá - meu amor
• O Manusha Khevelan tut! -O povo te faz dançar
• Bartai Sastimos - boa sorte e boa saúde
• Devlessa Araklam Tume ! - (É com Deus que te encontro!)
• Thie Aves Thiatlô Lom, Manrô Tai Sunkai!
• Que você seja abençoado com o sal, com o pão e com o ouro!
• Akana mukav tut le Devlesa ( Eu agora deixo-o com Deus)
• Ando gav bi zhuklesko jal o pavori bi destesko ( Em uma terra sem cães os fazendeiros andam sem cajados)
• Baxt hai sastimos tiri patragi ( Boa sorte e boa saúde)
• Bi kashtesko merel i yag (Sem madeira o fogo pode morrer)
• Devlesa araklam tume (É com Deus que te encontramos)
• Nais Tuke/Gestena (Obrigado)
• Devlesa avilan (Deus quem te trouxe)
• Dza devlesa (Deus vá com você)
• Droboy tume Romale ( cumprimento tradicional, como um “olá”)• Feri ando payi sitsholpe te nauyas (É na água que se aprende a nadar)
• Love k-o vast, bori k-o grast (Dinheiro na mão, noiva no cavalo)
• Mandar tsera tai kater o Del mai but te aven tumenge (Para mim um pouco de dinheiro, para você Deus dê prosperidade)
• Me som Alexia (Eu sou Alexia)
• O manusha khelevan tut (O povo te faz dançar
• Me Kom Te ou Me kom Tu (Eu te amo)• Ne rakesa tu Romanes? (Você não fala Romany?)
• Mishto hom me dikava tute (Estou feliz em vê-lo)
• Hai Shala? (Você entende?)
• Hay Sheli ( Eu entendo, eu concordo)
• Hery? (Verdade?)
• Miro Prala ( Meu irmão)
• Miri Pen (minha Irmã)
• Latcho Drom! (Boa viagem, Bom caminho!)
• Klayi Jag ( Fogo Negro)
• Kak camena tute prala = Como te amamos, irmão! GB
• Za mateia rosherroro odolatra bravintata = A sua cabeça doe aflitivamente como se ela tivesse bebido vinho. GB
• Bus de gres chalabas orchiris man diquê à yes chiro purelar sistilas sata rujas, y or sisti carjibal diñando tutas discandas = Mais do que cem filhas encantadoras eu vejo nascidas de uma vez, do fogo como rosas: num momento expiram em graciosas circunvoluções. GB
• O pobre tolo que fecha a boca, nunca ganha um centavo. GB
• O rio que corre com som, leva consigo pedras e água. GB
• Querelar nasula = Lançar mau-olhado. GB
• A alma nasce velha, e com o passar do tempo, vai rejuvenescendo. O corpo, não. OM
• A sobrevivência da etnia cigana segue, como os lobos, as leis instintivas da horda. OM
• Os ciganos não contam os sonhos, porque consideram o universo onírico pertencente a cada um que sonha, exclusivamente. OM
• Cada criança que nasce vem de universo que jamais foi visto por outra pessoa, e dele traz sempre algo mais para os que nasceram, que também assim contribuíram. OM
• Soy hijo de Faraón / y desprecio los metales / que con mi vara de mimbre / no le tengo envidia a nadie. // CC
• No hables mal de los gitanos / que tienen sangre de rey / en la palma de la mano. // CC
• De los gitanos no hables/si hablas mal de los gitanos,/hablas de tu propria sangre.// CC
• Un gitano subió al cielo / a pedirle a Dios metales; / San Pedro le contestó: / debajo de la tierra salen. // CC
• La alegria del gitano / un borrico bien ligero / y una varita en la mano. // CC
• A purê grasti solibarri nebi = A égua velha, aparelho novo. ON
• On duque peró o gel perará a tenglê = Donde veio o burro, virá a albarda. ON
• Peno men ducas guiyalbando / sos guiyalbar sina orobai, / peno retejos querelando / sos querelar sina guirrar. // = Eu digo as penas cantando, / porque cantar é chorar; / digo meu gozo bailando / porque meu riso é bailar. // ON
• As e Rroma phrala = Todos os roms são irmãos. CA.
• Rrom biandilem, Rom ka merav = Nasci Rom, morrerei Rom. CA
• O bato, tu merinhaste, / tão chinurrão eu fiquei! / manguela ao Duvel por mença / que por tuça eu manguinhei! // = Ó meu pai tu já morreste! / tão pequenino eu fiquei! / suplica por mim a Deus, / Qu’eu por ti já supliquei. MMF
• Quem se chimar nachardon / não requerde cime dar/que o rom quidon requerdando/ dinhão dubans a mardar. // = Quem conhecer-se infeliz / não fale, esteja calado; / que o infeliz quando fala / quase sempre é castigado. // MMF
• Te camelava runin / simando bar nachadon, / só o teu babanipen / me querdava bravalon. // = Te queria mulher / sendo mesmo desgraçado; / só tua formosura / me faria venturoso. // MMF
• Escas de manguiñar que non te camela diñar = Escusas de pedir a quem não te quer dar. AC
• Ustilê or trique / duque orobabas / nu pandebré a chinibén gori / ta or nu sastraba. // = Este lenço em que choravas, / tomei-o na minha mão, / tapei com ele as feridas, / o lenço deixou-me são. // ON
• Peno baji sos pesquibé a bom e chaneleri yequi dubela e sila cibayi. = Eu leio a sua sina, porque bebi a ciência por uma taça de loucos. ON
• Que os teus cavalos vivam muito tempo! ON [bênção]
• Um cavalo parado muito tempo tem formiga nas patas. ON
• Uma vida sem amor é como pão sem fermento. ON
• Me voliule samurri djibe movoin = Na vida só se tem um grande amor.
• Se for o teu irmão que te ofende, o teu sofrimento é dobrado. ON
• Aquele que odeia seu pai, odeia-se a si mesmo. ON
• Quando eu morrer / só te faço esta oração: / que as fitas do teu cabelo / possam atar minhas mãos. // ON
• Kastar thi aju kerás kotçar ankrel = De onde não se espera é que sai. MS
• O manush cai siles rat lachô, thi rorravel = A pessoa de sangue bom, justa e de boa índole, não mente.
• Thie aves thiailô lom, manrô tai sunakai = Que você seja abençoado com o sal, com o pão e com ouro. MS
• E juli que naila chave thi sporil e vitza = A mulher que não tem filho passa pela vida e não vive. MS
• Mai falil ek chau ano dy, dikê ek gunô perdo galbentça = Mais vale um filho na barriga do que um baú cheio de moedas de ouro.
• Nai lovê ane lumia thie potinás ek chau = Não existe dinheiro no mundo que pague um filho. MS
• E bar ti rodielto duar = A sorte não te procura duas vezes. MS
• E bar si bar = Sorte é sorte. MS
• Tribul o manush thie aveles vaz zuralô, thiená paguem thie vaz taí thie naiá = Para que não se quebre o elo de união entre nosso povo, é primordial que se mantenha o pulso forte, pois senão lhe torcem as mãos e lhe quebram os dedos.MS
• O vortako tribulame, ane kelimaste ano nasfalimos, ano thiorrimos tai ane martha = O amigo é para alegria, brincadeira, doença, miséria e morte. MS
• Thiumidau tio ilô Deula = Beijo teu coração, meu senhor.MS
• Sar pirel o grast janas e vitza katar lesko gasda = Pelo cavalgar do cavalo, se conhece a vida do dono. MS
• Truchul sucano pacha mendi, ai thie arakelame = Cruz de ouro perto de nós, e que Deus nos proteja. MS
• Thie jal o nasfalimos kaithi dilabal o cococho = Que todo mal e doença vá para aonde o galo não canta. MS
• Thie sasthiarelto kham = Que o sol te cure! MS
• Thie blagoilto o kham = que o sol te abençoe! MS
• Thie marelto o kham = que o sol te castigue! MS
• Thie iaca si jungle sar I abraskake = Seus olhos são feios, invejosos e ruins, iguais aos do sapo. MS
• Thie dieles o diel lachi thierain = Que Deus lhe uma boa estrela. MS
• Thie avás bartalê, tribulame lachi thieraim = Para termos boa sorte, precisamos ter uma boa estrela. MS
• Kana dás e iag e momeli tribul aracadí, thiená mudardhiel = Não basta acender a vela, necessário se torna vigiá-la para que a chama não se apague. MS
• Em retudi panda nasti abela macha = Em boca fechada não entra mosca. PM
• Singo, singo, homte hi mulo = Logo, logo, ele morrerá! PM
• Len so sonsi abela. Pani o reblendami terela = Rio que faz barulho, tem água ou seixos. PM
• Os esorjlé de or narsichisté, sin chismar lachinguel = A promessa de um anão é cuspir longe. PM
• Sarapia sat pesquital ne punzava = Sarna com prazer não coça. PM
• Me dicas vriardâ de jorpoy, bus ne sino braço = Uso roupa de lã, mas não sou carneiro. PM
• Chuquel sos pirela, cocal jerela = Cão que caminha acha osso. PM
• Me voliule samavoim murri vida naiaver = Na vida só se tem um grande amor. SCN
• Quejalá Gudovelê = Vá com Deus. SCN
• Um sorriso na cara de um gadjo é mais raro que uma vaca pôr ovos. ON
• Para um homem sedento, uma gota d’água é como um lago. ON
• Será teu amigo aquele que te der de comer quando tiveres fome. ON
• O homem sensato ri sempre que pode, porque sabe que terá muitas ocasiões de chorar. ON
• Dorme quando puderes, que a noite será talvez curta. ON
• Depois de amanhã, o amanhã será hoje. ON
• A erva curva-se ao vento e levanta-se de novo quando o vento passou. ON
• De nada vale acender uma vela quando o vento sopra. ON
• Ainda que montes um cavalo virado para a cauda, ele continuará a caminhar para frente. ON
• Se ambicionarmos muita coisa, acabamos por não gozar o que temos. ON
• Quando não há pão, não se exigem bolos. ON
• Uma lebre na panela vale mais do que seis no campo. ON
• Caminha sobre a erva com os pés leves; os teus cavalos poderão precisar dela. ON
• Se chover, não cubras a cabeça com um crivo. ON
• Quando o diabo sorri, desconfia. ON
• Acautela-te de um povoado onde os cães não ladram. ON
• Se uma mosca te incomoda, não a mates; limpa antes a sujidade que a atraiu. ON
• Se tens as algibeiras vazias, não fiques com as mãos nelas. ON
• Se te meteres num regato, não recrimines os teus sapatos por molhares os pés. ON
• O fumo de uma fogueira pode cegar aquele que a acendeu. ON
• Se queres ver os peixes, não turves a água. ON
• Se queres dizer um segredo a alguém, di-lo ao ouvido de um surdo. RR
• Quem vive em carroça de vidro não pode atirar pedras. RR
• Devemos aproveitar as pequenas coisas para obter os melhores resultados. Desprezando-as, perdem-se verdadeiras riquezas na vida. ON
• A mais bela fogueira começa com pequenos ramos. ON
• Fogo bonito começa com gravetos. RR
• Homem que se gaba é como tenda aberta para o pé-de-vento. RR
• Estigmas não fazem de um homem o Cristo. RR
• O caldeireiro come muitas vezes num tacho amassado. ON
• Um cão que corre sozinho julga-se o mais rápido do mundo. ON
• O gabola é como a tenda com a abertura virada para o vento. ON
• O rato com uma flor na orelha não deixa de ser um rato. ON
• Pintas a erva da cor que quiseres; ela será sempre erva. ON
• Não contes com o galo que canta; ele nunca porá ovos. ON
• A águia voa alto; mas corta-lhes as asas e ficará uma galinha grande. RR
• Não mordas no cavalo, se não queres apanhar um coice. ON
• Quem vive em tenda de vidro, não pode atirar pedras. ON
• Se falares a um cavalo, não esperes resposta. ON
• Para que serve uma estrela àquele que não quer ver? ON
• El sabor de la uva se mide por el trato que recibio la parra.
Frases que se seguem foram retiradas da Internet:
• Ajsi bori lachi: xal bilondo phenel londo = A boa nora come comida sem sal e diz que é temperada.
• Ando gav bi zhuklesko shai piravel o manush bi detesko = Na vila sem cachorro, um homem pode andar sem bengala.
• Baxt hai sastimos tiri patragi = Desejo-lhe sorte e boa saúde.
• Bi hashtesko merel i yag = Sem lenha, o fogo morre.
• Develesa araklam tume = Com Deus, nós encontramos você.
• El crallis há nicobado la liri de los cales = O rei revogou a lei dos ciganos.
• Feri ando pani sisholpe te nauyas = É na água que se aprende a nadar.
• Gadjê gadjensa, rom romensa = Não-cigano com não-cigano; cigano com cigano. [Cada qual com seus iguais]
• I chatsku tsinuda de tehara, vai de haino, khal tut = A verdade, como a urtiga, ferroa do começo.
• Jekh dilo kered but dile hai but dile keren dilimata = Uma mulher enlouquece muitas, e muitas fazem uma loucura.
• Kai zhal o vurdon vurma mekela = Onde a carroça passa, deixa a trilha.
• Kai zhala I suv shay zhala wi o thav = Onde passa a agulha, certamente passa a linha.
• Kon khal but, khal peski bakht = Quem come demais, vomita a sorte.
• Love k-o vast, bori k-o grast = Dinheiro na mão, noiva na garupa.
• Mandar tsera tai kater o Del mai but te aven tumenge = De mim, pouco dinheiro, mas Deus te proverá.
• May angle sar te merei kadi yag = Antes este fogo te queime. [maldição]
• Mashkar lê gadjende leski shib si lê Romeski zor = Com não-ciganos por perto, o cigano somente defenderá seu idioma.
• May kali muri may gugli avelã = Quanto mais escura, mais doce a fruta.
• May mishto lês thud katar i gurumni kai tordjol = É fácil tirar leite das vacas que ficam quietas.
• May mishto phabol o kasht o chordano = A madeira queima melhor se for roubada.
• Nashti zhas vorta pó drom o bango = Não se pode ir reto quando a estrada é curva.
• O chavorro na biandola dandecar = A criança não nasce com dentes.
• O lov tai o beng nashti beshen patshasa = Nem o dinheiro, nem o diabo permanecem em paz.
• O shoshoy kaste si feri yek khiv sigo athadjol = O coelho que não tem toca é logo apanhado.
• O ushalin zhala sar o kam mangela = A sombra se move de acordo com o sol.
• Prohasar man opre pirend — as muro djiben semas opre chengend = Enterrem-me em pé — permaneci de joelhos a vida inteira.
• Putrav lesko drom angle leste te na inkrav lês mai but palpale mura brigasa = Abri seu caminho para nova vida e libertei-o da prisão de minha tristeza. [dito no velório]
• Rode chia bora lê kanensa tai te na lê yakensa = Escolha a nora com os ouvidos e não com os olhos.
• Sar laci and’ekh vadra = Como num saco de caranguejos.
• Shuk tski khalipe la royasa = Beleza não se come com colher.
• Si khohaimo may pachivalo sar o chacimo = Há mentiras mais críveis do que a verdade.
• Stanki nashti chi arakenpe manushen shai = Montanhas não se encontram, mas gente sim.
• Te aves yertime mander tai te yertil tut Del = Eu te perdôo, possa Deus te perdoar também.
• Te bisterdon tumare anava = Possam seus nomes serem esquecidos. [praga]
• Te den xá te maren denash = Se te derem algo, coma; se te baterem, fuja.
• Te khlion tai te shingerdjon che gada, hai tu te trais sastimajsa tai voyasa = Possam suas roupas rasgarem e gastarem até o fim, mas possas viver com ótima saúde e satisfação.
• Te loriava I phuv mure ratesa = Possa eu molhar a terra com meu sangue. [juramento]
• Te malavel lês i menkiva = Possa uma doença maligna definhá-lo. [maldição]
• Te merav = Possa eu morrer. [juramento]
• Te merel amaro kuro o lasho = Possa meu garanhão favorito morrer. [juramento]
• Te merel muri shey = Possa meu filho morrer amanhã. [juramento]
• Te merel muro dad, muri, dei = Possa meu pai, mãe, irmãos morrerem. [juramento]
• Te na khuchos perdal cho ushalin = Tentar pular sobre a própria sombra.
• Te pebaren mange memelia = Possa queimar velas para mim. [juramento]
• Te prakhon man pasho o X = Possa ser queimado no próximo X [maldição]
• Te shordjol muro rat = Possa derramar meu sangue. [juramento]
A seguir, conselhos a casais ou indivíduos, retirados do livro “Tradições ocultas dos ciganos”, de Pierre Derlon:
• O segredo não pertence àquele que o possui, ele pode ser “padecimento”.
• Como queres ser aceito deitado, se aceitas a bofetada de pé?
• O acaso às vezes não é generoso, dá a inteligência a um e o outro se ofende.
• Não se deve esperar, mas ir até o final das coisas.
• Os dados foram jogados, não sereis cúmplices?
• Afasta de ti a necessidade permanente de viver dramas sucessivos, procura pacientemente te tornares adulto.
• Não afastes do outro, de maneira sistemática, as alegrias do espírito, que conduzem à serenidade.
• Não fales de tua mulher com teus amigos, nem de teus amigos com tua mulher.
• Permanece calmo, tanto mais te exaltes.
• Não prives o outro das amizades que lhe são agradáveis.
• Se exerces a opressão e o outro se sujeita ao medo, possuirás o nada.
• Não busque no álcool as coragens que só existem na tua imaginação, evita que a covardia se apodere de ti completamente.
• Não procure como as crianças ter sempre a última palavra.
• Entra em ti mesmo cada vez que o outro emita julgamento que deves tomar como para ti.
• Desconfia! Ao lado das vinganças há as cujo principal triunfo é de não terem ar de vinganças. Estas matam o amor.
• Comparando sua vida à de algumas pessoas, faz-se às vezes, malograr a própria, e a do cônjuge.
• Fazei ponto de inquietação os vossos contatos humanos.
• Se o ódio está no fundo de ti, como ousas fazer amor?
• O medo que sentes do outro é a covardia que entra em ti.
• Não atormente teu espírito devido a certas pessoas que já esqueceram da tua existência.
• Malogra-se muitas vezes a própria, procurando o porquê da felicidade dos outros.
• Sacrificam-se às vezes amizades sinceras por amores que não existem.
• Quando a inteligência se deixa maltratar devido o medo, instala-se o caos e foge a tranqüilidade.
• Não expandas teus recalques perto de estranhos, ocupa teu tempo mais em procurar-te no outro.
• Deve-se amar o próprio pai, sem entretanto deixar de julgá-lo.
• Evita a moleza na atitude, no gesto, na palavra.
• Desconfia de certas pessoas que provocam tua cólera porque elas tiram proveitos dela.
• Desconfia dos julgamentos que te forçam a carregar; eles te ocupam o espírito e impedem que tenhas os teus próprios julgamentos.
• Forçar o desprezo para com um estranho é abrir a porta ao desprezo que terás para com aquele que terá orientado teu primeiro desprezo.
• Se teu espírito assimila com dificuldade uma conversação, não entres em duas ao mesmo tempo.
• Não forces teu ciúme a contrariar a inteligência do outro, toma partido.
• Quando um casal se instala na obrigação, mata a harmonia.
• Forçar o outro a certas renúncias é abrir a parta aos desejos que corroem o espírito, porque o corpo não os possui.
Outros
• Quem quiser roubar batatas não pode esquecer a saca. CGL
• O melhor ferreiro não pode fazer mais de uma aro cada vez. CGL
• Nada é tão ruim que não possa ser bom para alguém. CGL
• A recompensa faz o corajoso. CGL
• Ele come sua fé como os ciganos comeram a igreja. CGL [provérbio valáquio querendo dizer que a igreja cigana era feita de carne de porco e os cachorros a comeram]
• O romay kangri sos kerdo ballovas te i juckli hawd lis = Não há diversão sem os ciganos. CGL
• Eu te vi onde nunca estiveste / e onde nunca estarás; / e, mesmo assim, nesse mesmo lugar, / podes ser visto por mim. / Pois para dizer o que não sabem / existe a arte dos romani. // CGL
• It’s kushti bak to wellan a rom // when tut’s a pirryin pre the drom = Quando você estiver caminhando pela rua, / terá sorte se um cigano encontrar. // CGL
• Pchagerav momely / pchagera ter vodyi = Que a vela três vezes quebrada por mim / quebre três vezes o seu coração! [sortilégio para se vingar de um amante infiel.] CGL
• Kay o kam avriável. / kyia mange lele beshel! / kay o kam tel’avel, / kyia lelakri me beshav. = Onde o sol se levanta / que a minha amada esteja comigo! / onde o sol se põe / com ela eu esteja. // CGL
• T’re bact me çáv, / t’re baçt me piyav, / dáv tute m’re baçt, / kaná tu mange sál. = Eu como tua sorte, / eu bebo tua sorte; / tu me dás a tua sorte, / e depois tu serás minha. [sortilégio de amor] CGL
• Kay tut o kam dikhel: / odoy avá kiyá mánge. = Onde o sol te encontrar, / faça com que voltes imediatamente para mim. CGL
• Kay me yak som / ac tu angár, / kay me brishind som, / ac tu pani. = Onde sou chama / que sejas o carvão! / onde eu seja chuva / que sejas a água!// [para engravidar] CGL
• Ki shan i romani / adoi san’i chov’hani. = Aonde os ciganos forem, / lá estarão as feiticeiras, já sabemos. CGL
• Mi Devel opral, dick tule opré mande. = Meus Deus que está no alto, olhe para mim aqui embaixo. RB
• Youra, tikni yuora si kolo; / sor si kolo. / Chavi, av adré sasteem / Duvel, mi-Duvel, tutti milos. = O ovo, ovinho é redondo; / tudo é redondo. / Venha com saúde, criancinha. / Deus a está chamando. [para facilitar o parto] RB
• Kon del tut o nai shai dela tut wi o vast = Aquele que de boa-vontade dá um dedo, poderá te dar a mão inteira. NI
• O Devel havo kerd’as as I phuv, he savore so odoj hi, odoleske, kaj ehi o Raj andro upruno Devel, he andri phuv tele na besel andre Kangera, Kerde e manusengre vastentsa. = O Deus que fez o mundo e todas as coisas que nele existe, esse sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mão do homem. [Deus está em todo lugar] CCP
• Bibaxt prejeal the nani yov avel. = Azares e má sorte afastem-se e não voltem mais. [ensalmo] NI
• Cana vurri tica olondi au murro cadê vurri tinrromé. = Quando o pão e o sal não tiverem mais sabor, então não haverá mais amor entre os dois. [palavras ditas no ritual do casamento] NI
• O homem faz o dinheiro, mas o dinheiro não faz o homem. NI
• Kastar thi aju kerás kotçar ankrel = De onde não se espera é que sai. MS
• O manush cai siles rat lachô, thi rorravel = A pessoa de sangue bom, justa e de boa índole, não mente.
• Thie aves thiailô lom, manrô tai sunakai = Que você seja abençoado com o sal, com o pão e com ouro. MS
• Mai falil ek chau ano dy, dikê ek gunô perdo galbentça = Mais vale um filho na barriga do que um baú cheio de moedas de ouro.
• E bar ti rodielto duar = A sorte não te procura duas vezes. MS
• Thiumidau tio ilô Deula = Beijo teu coração, meu senhor.MS
• Thie dieles o diel lachi thierain = Que Deus lhe uma boa estrela. MS
O homem sensato ri sempre que pode, porque sabe que terá muitas ocasiões de chorar. ON
• Ainda que montes um cavalo virado para a cauda, ele continuará a caminhar para frente. ON
• Se ambicionarmos muita coisa, acabamos por não gozar o que temos. ON
• Caminha sobre a erva com os pés leves; os teus cavalos poderão precisar dela. ON
• Se chover, não cubras a cabeça com um crivo. ON
• Acautela-te de um povoado onde os cães não ladram. ON
• Se uma mosca te incomoda, não a mates; limpa antes a sujidade que a atraiu. ON
• Se queres ver os peixes, não turves a água. ON
• A mais bela fogueira começa com pequenos ramos. ON
• Fogo bonito começa com gravetos. RR
• Homem que se gaba é como tenda aberta para o pé-de-vento. RR
• Para que serve uma estrela àquele que não quer ver? ON
• Kai zhal o vurdon vurma mekela = Onde a carroça passa, deixa a trilha.
• May mishto lês thud katar i gurumni kai tordjol = É fácil tirar leite das vacas que ficam quietas.
• Te loriava I phuv mure ratesa = Possa eu molhar a terra com meu sangue. [juramento Afasta de ti a necessidade permanente de viver dramas sucessivos, procura pacientemente te tornares adulto.
• Não afastes do outro, de maneira sistemática, as alegrias do espírito, que conduzem à serenidade.
• Kay o kam avriável. / kyia mange lele beshel! / kay o kam tel’avel, / kyia lelakri me beshav. = Onde o sol se levanta / que a minha amada esteja comigo! / onde o sol se põe / com ela eu esteja.
• Kay me yak som / ac tu angár, / kay me brishind som, / ac tu pani. = Onde sou chama / que sejas o carvão! / onde eu seja chuva / que sejas a água!// [para engravidar] CGL
• Cana vurri tica olondi au murro cadê vurri tinrromé. = Quando o pão e o sal não tiverem mais sabor, então não haverá mais amor entre os dois. [palavras ditas no ritual do casamento] NI

Aqui terminamos a breve colheita; doravante, aguardaremos as sugestões dos leitores e leitoras. Que fique bem claro, não sabemos romani; daí, frases e textos foram colhidos e transcritos como estavam nas fontes citadas (não localizei algumas fontes, NI). Esperamos que nossos amigos ciganos façam as correções necessárias e nos digam para acertarmos tudo que estiver errado. Não estranhem o fato de se ver grafias várias da língua porque, além de ser ágrafa, são diferentes: romani, sintó, caló e muitos são os dialetos com que se expressam: kalderash, lovari, tchurari, manouch e variedades de sintó, além de nuances regionais. Exemplo de romani falado na Moravia, dado pelo frei Tadeu Luiz Fernandez, apud Cristina da Costa Pereira, In Povo cigano, p. 107: “O Devel havo kerd’as as I phuv, he savore so odoj hi, odoleske, kaj ehi o Raj andro upruno Devel, he andri phuv tele na besel andre Kangera, Kerde e manusengre vastentsa”. Agora o mesmo texto em romani falado na ex-Iugoslávia: “Ake mothovave tume gadija kam veselim pe e Devlehé anjielujra pala jekh bilacho manus savo pokaji pe”. E na Espanha: “Andiar sangue penelo, que sinará osuncho anglal es majares de Undebél por yeque chor sos querela aberuco”.
Retirado do site KumpaniaRomai




Sou Cigana, Sou Mulher...



Vim cantar a beleza das flores. 

 Cheguei para perfumar, para conquistar.

 Acenderei o fogo. 

 Dançarei para o vento. 

 Alegria,alegria...

 Sou sedução.

 Sou pura paixão. 

 Minha estrada é seguir meu coração. 

 Danço a minha canção.

 Prisão para mim não existe,

 sou cigana,sou livre...

 Carrego a força da natureza em minha alma.

 Caminho em direção ao vento. 

 Amo.

 Seduzo. 

 Não me prendo a esse mundo. 

 Caminho com as estrelas 

 Meus olhos brilham como o sol.

 Meu corpo dança,balança e encanta.

 Minha maior alegria é a vida. 

 Minha liberdade é valiosa!

 Trago o Universo em mim. 

 Sou mistério. 

 Viajei um Universo profundo . 

 Com meu pandeiro elevo aos céus. 

 Sou mensageira.

 Sou cigana.

 Sou mulher.

 (Cigana Sharmayla)

 Se queres ver os peixes, não turves a água. (Conselho Cigano) 
 Blog Filhos do vento

O que é ser Cigana?

É partilhar a esperança com meu irmão,


 Lutar com todas as minhas forças para vencer o sofrimento, 


É dizer sempre sim para o amor, 


É ser fraterna com meu semelhante, 


E lutar sempre para que meu mundo e do meu próximo seja melhor.


 É ser solidária no momento da dor, 


É só querer ajudar cada vez mais meus irmãos a serem mais irmãos,


 É ser livre,como um passarinho, 


É crer que a vida nunca é vencida mesmo que a morte chegue,


 É sempre acreditar que sempre posso recomeçar, 


É renascer, despontar para um novo viver, 


É ter chances de melhorar constantemente, 


E assim ajudar meu irmão, 


E depois poder olhar feliz que hoje sou melhor que ontem,


 Sou livre como o vento,


 Meu amor aquece como o fogo,


 Quero ser forte como as águas, 


E ser como a terra que piso, 


Quero carregar comigo a capacidade de estar sempre, 


Renascendo a cada novo dia. 


Sempre lutar para que o nosso mundo seja melhor,


 E amanhã acordar e novamente seguir,


 Seguir pela estrada, 


Onde a minha se cruza com a sua, 


E que eu possa ser o reflexo vivo do amor Deus! 


 ( Cigana Ramana)

LIBERDADE DE UM CIGANO NOMADE....

JA PERCORRI ESTE BRASIL INTEIRO A RODAR,
E A CONHECER FUI A LUGARES ATE SEM QUERER,
PARA MINHAS MERCADORIAS TENTAR VENDER, 
 DORMI EM HOTEL DE LUXO E NO MATO ACAMPADO, 
 COMI CAVIAR E DORMI SEM JANTAR, 
TOMEI BANhO DE HIDRO E FUI NA CACHOEIRA ME BANHAR, 
 ANDEI DE CAMINHONETE ZERO E A PÉ POIS NAO TINHA DINHEIRO PRO ONIBUS PAGAR,
 EM ALGUMAS CIDADES FUI TRATADO COMO SR. CIGANO GYPSIE KAMBULIN E EM OUTRAS PEDIRAM PARA EU ME RETIRAR, 
 MAS EM TODAS CIDADES SEMPRE TINHA UMA GADJA(NÃO CIGANA) QUERENDO ME AMAR, 
 E MUITOS MARIDOS E PAIS QUERENDO ME MATAR,
 O IMPORTANTE QUE QUE EM TODAS AS CIDADES FIZ MUITAS AMIZADES, 
E NUNCA ABRI MAO DA MINHA MAIOR FELICIDADE QUE É A "MINHA LIBERDADE". 
 "NÃO ME PEÇA PARA EU ESCOLHER ENTRE VC E MINHA LIBERDADE... VOU SENTIR SAUDADES SUA"
pois somos CIGANOS LADROES DE CORAÇÕES 


 e ME LEMBRO QUANDO PEQUENO AO CHEGAR EM UMA CIDADE PRÁ ACAMPAR, A PRIMEIRA VISITA NO ACAMPAMENTO ERA DO DELEGADO PARA NOS EXPULSAR DE LÁ... 
DIZENDO QUE OS CIGANOS ERAM FORASTEIROS E VINHAM PARA ROUBAR, CHEGAVAM A PôR UM POLICIAL DIA E NOITE Á NOS VIGIAR, 
ME LEMBRO CERTA VEZ NUMA CIDADE LOGO AO CHEGAR AS CARROÇAS AINDA NAO TINHAM PARADO DE SE MOVIMENTAR
 E VEIO UM POLICIAL DIZENDO QUE ALI NAO IRIAMOS ROUBAR... 
MEU AVÓ REYNALDO GIPSYE LIMA SORRINDO FOI LOGO A PERGUNTAR, 
"AQUI VOCEIS TEM PRISÃO"??? E O POLICIAL A FALAR, TEMOS SIM CIGANO COM MAIS DE MIL HOMENS PRESOS LÁ, "MEU AVÓ ENTAO SORRINDO,TORNOU A PERGUNTAR",
QUANTOS CIGANOS ESTAO PRESOS LÁ??? NESSA SUA PRISAO E O POLICIAL SEM GRAÇA RESPONDE!!!NAO TEMOS NENHUM NAO. 
MEU AVÓ ENTAO:SR. POLICIAL O SR. SABE NO BRASIL QUANTAS PRISÃO SAO:??? O POLICIAL RESPONDE NAO SEI NAO,MAS DEVE HAVER MAIS DE UM MILHAO., ENTAO MEU AVÓ SORRINDO .... 
SE TENS UM MILHAO DE PRISAO COM UM MILHAO DE LADRAO, GARANTO PARA O SENHOR QUE CIGANOS NAO TEM NAO ! 99% SAO GADJAO (NAO CIGANOS), E OS CIGANOS É QUE SAO OS LADRAO???
 SR. POLICIAL AQUI ESTAMOS Á PASSAR VAMOS VENDER NOSSOS COBRE, E NOSSOS CAVALOS TROCAR, 
VAMOS LER A SORTE DE QUEM DESEJAR, 
 E SE VOCEIS TIVEREM MULHERES BONITAS MUITOS CORAÇOES VAMOS ROUBAR. 
POIS SOMOS VENDEDORES DE ILUSAO E LADRAO DE CORAÇAO. E SEGUE SEUS ENSIMENTOS QUE SAO:
OS 7 ENSINAMENTOS GYPSIE
 1- FELICIDADE - um campo aberto, um luar, um violão, uma fogueira, o canto do sabiá e a magia de uma cigana.
 2- ORGULHO - é saber que nunca participamos de guerras e nunca armamos para matar nossos semelhantes. Somos os menestréis da paz.
 3- AMOR - (KAMBULIN)amar é vivermos em comunidade, é repartir o pão, nossas alegrias e até nossas aflições.
 4- LEALDADE - é não abandonar nossos irmãos quando precisam. É nunca negar o ombro amigo, a mão forte e o incentivo à vida. 
5- RIQUEZA - é termos o suficiente para seguirmos pela estrada da vida. 
6- NOBREZA - é fazermos da humilhação um incentivo ao perdão.
7- HUMILDADE - é não importar-se em ser súdito ou nobre, importar-se apenas em saber servir 


 ISSO AS CIGANAS JA SABEM E AS GADJAS QUEREM SABER 


COMO É VIVER NO ACAMPAMENTO SENTAR EM VOLTA DA FOGUEIRA VIVER A BAILAR,CANTAR,COMER,BEBER E SORRIR..., 
AS GADJAS QUEREM SABER QUE LINGUA AS CALINS ESTAO A FALAR ?,
 A COZINHAR NO CHÃO E NA CACHOEIRA SE BANHAR?. 
AS GADJAS QUEREM SABER COMO OS CIGANOS FAZEM AMOR ?, 
 E AO SABER QUE ELES NAO TEM PRESSA PARA ACABAR... SABEM DAR PRAZER LEVAR AO ORGASMO ATE O DIA CLAREAR, PROCURANDO O PONTO "G" ATE ENCONTRAR E AO ENCONTRAR É QUE O SEXO E O AMOR VAI COMEÇAR, E SÓ TERMINA QUANDO O DOIS AO ORGASMO CHEGAR.., 
PODENDO DURAR A NOITA TODA ATE O SOL RAIAR E MUITAS VEZES MESMO COM O SOL A RAIAR O AMOR CONTINUAR..., 
AS GADJAS QUEREM SABER COMO É DORMIR NUMA BARRACA ? E COMO É ACAMPAR???,
SAIR PELO MUNDO SEM LUGAR CERTO PRA IR NEM HORA PRA CHEGAR?, ANDAR O MUNDO INTEIRO SOMENTE PRA PASSEAR?, 
AS GADJAS QUEREM SABER COMO É VIVER SÓ PRA AMAR?, 
COMO É PREVER O FUTURO E AOS GADJOS CONTAR SEM NUNCA SE ENGANAR?, 
AS GADJAS QUEREM SABER MAS NAO VÃO NAO... 
POIS POR MAIS QUE SE EXPLIQUE NAO HÁ EXPLICAÇAO...


 TEM QUE SER CIGANO E SENTINDO NO CORAÇAO, 
SER CIGANO NAO HÁ EXPICAÇAO, É UM MUNDO DE AMOR E ALEGRIA NO CORAÇAO. 








 AUTOR CIGANO CARLOS GYPSIE LIMA.14/9/11

ANO NOVO: TEMPO DE DESPERTAR SOB A ÓTICA DE UM CIGANO DO ORIENTE.

DESPERTAI
Acordai do sono profundo!


Um novo ciclo se inicia ao nascer de cada sol! A noite sombria e serena, nada mais é que o prelúdio de um vigoroso amanhecer. Ao acordar, conscientiza-te que a noite cumpre sua missão de valorizar ainda mais o resplandecer!


 Mobiliza toda energia que recebeste da hierarquia e decida exercer tua Maestria aqui e agora! Permita o livre fluir da Sabedoria Cósmica e não aguarda a hora, o momento ou a oportunidade mais propícia! O momento certo é o AGORA!


 Comece já o seu movimentode ascenção, executa já os teus projetos! Abandona o medo que te congela eparalisa! Permita-te dar o primeiro passo e em seguida um passo por vez.


 Esse ano foi um período de grandes aprendizados. Foi possível enxergar com clareza muitas situações ofuscadas pelos véus das vossas ilusões , facilitando a separação entre o joio e o trigo. Foi possível enxergar nítidamente a essência de muitos irmãos, por mais que a imagem real emocionasse ou decepcionasse. Foi possível enxergar aqueles que realmente são por você, os que apenas estão ao seu lado e quem não está a seu favor. 


 Passaste por um período de elevação da consciência, enxergaste teu Eu integralmente, toda a tua a luz e também toda a tua sombra, tudo no seu Eu que é necessário valorizar, o que precisa ser aperfeiçoado, o que precisa ser perdoado e o que há de ser transmutado, desde a tua alma ao teu casulo carnal, passando pela tua Mente.


 Hoje enxergas com mais clareza as reais necessidades da tua alma. Pois então, agora Desperta! Desvia tua energia mental das dificuldades aparentemente intransponíveis do pequeno EU e respira as possibilidades de sucesso! Sonha!Ousa! Assuma o controle! Manifesta tua essência! Permita-te expressar o Ser grandioso que realmente És! Guerreiro(a)da Luz, ergue sua espada, símbolo de todos os conhecimentos e ferramentas que você acessou e se entrega ao fluxo do Divino! A Mãe Terra precisa da sua Luz para despertar a massa!


 As duas palavras-chave do novo ciclo são MOVIMENTO e MANIFESTAÇÃO.


 Nessa transição de ciclos, abençôo a todos vocês com as energias do Povo Cigano.Trago minha etérica melodia e o perfume das mais belas flores para harmonizar teu lar e teu trabalho, a chama do meu coração para aquecer e transmutar suas mágoas, meu punhal sagrado para lhe defender e todas as minhas riquezas, para que prosperem infinitamente. 


 Sempre que precisares, chama por mim, sem esquecer do quão grande e capaz tu és.


 Imediatamente, estaremos presentes, prontos à auxiliá-lo, dentro das possibilidades do teu merecimento, da missão abraçada por tua alma e do aprendizado que necessitas!


 Eu Sou oCigano Wladmir, Caminheiro do tempo, do sol, da lua e das estrelas, seu fiel e eterno irmão de alma!




 Retirado do site somos todos um, escrito por Jair Cordeiro Neto

INSTRUMENTOS NA DANÇA CIGANA


Na dança cigana podem ser usados diversos instrumentos. Isto vai depender do tipo de música, país de origem (clã) e principalmente, da intenção da dança, que pode ter caráter ritualístico ou não. Os objetos mais usados pelo clã Rom são: Cesto; Tacho; Véu; Lenço; Flores; Pandeiro; Punhais; Cada objeto desta lista representa uma energia da natureza e uma mensagem a ser passada. Além disso, os ciganos contam com outros instrumentos fundamentais em suas danças que são a alegria, o sorriso no rosto e principalmente o olhar. Este nasce da alma e é contagiante, inconfundível. Todos podem e tem capacidade de aprender esta arte, nunca é tarde, adultos ou crianças. O importante é fazer da Dança Cigana a maneira mais sublime de se conhecer e interagir com o mundo ao redor. 

Dançar com o lenço:  Representa união, casamento e amor. O lenço também é utilizado para a prova da virgindade. O lenço é encantador seguro delicadamente nos dedos da cigana, envolvendo-a de mistério e aos poucos revelando sua beleza e poder. Ao dançar com o lenço, seus desejos, sentimentos e sonhos são movidos pelo deslizar do lenço pelo ar, no transe da música, livre como o vento e infinito como o céu. O lenço também transforma e limpa o ambiente, pode representar pedidos ou coisas da vida que queremos mudar ao dançar. É uma das danças ciganas femininas mais belas, por isso pode ser encontrada de várias formas nas danças de todos os grupos ciganos. Também neste caso podem ser utilizados lenços decorados com moedas douradas ou fitilhos, dando um ar de prosperidade aos movimentos executados.



Dança com o véu: Representa o elemento ar e expressa a leveza do corpo e a sensualidade , estão relacionados aos animais, às plantas, aos símbolos da mitologia egípcia e aos quatro elementos da natureza. Portanto, podemos relacionar o véu com o elemento ar (com os ventos que sopram do deserto). Pode-se dançar com um único véu, com dois ou até nove véus. 




Dançar com o leque: Dança do elemento ar que representa o amor, a sensualidade e a limpeza, representa sedução, romantismo e poder. O leque passeia há séculos nas mãos das mulheres, mas seu uso prático pouco tem a ver com os aspectos valorizados pela cigana ao dançar. Da maneira que se abre pode representar as fases da lua e da mulher, seus reais desejos ou apenas o que quiser demonstrar; é um poderoso instrumento de limpeza energética, magia para a cura e sedução. Sendo assim, está constantemente nas mãos espertas de uma cigana, atraindo a atenção para seu mistério e poder. O leque é mais característico nas danças “kalóns”, mas pelo seu encanto as mulheres que gostam, usam-no sempre que podem na sua dança. 



Dançar com o Pandeiro: Dança dos quatro elementos, denota a alegria e sugere uma festa. Serve também para purificar o ambiente. O pandeiro traz a alegria do sol, saudando-o com inúmeras fitas coloridas, representando seus raios protetores e vivos. Como todo instrumento que faz barulho, ele tem como função expulsar os maus espíritos ou energias negativas, abrindo caminho para o povo festejar. Sua mensagem é mover, transformar o que está parado em ritmo, revigorar o nosso corpo com a alegria e o calor da dança, assim como o sol faz conosco. O uso das fitas, pode ter nascido como um calendário para marcar eventos importantes e a idade; para saudar a chegada da primavera; para representar através das cores das fitas pedidos ou bênçãos. É mais utilizado nas danças do grupo Rom, acompanhando violinos e outras percussões, é preciso habilidade e conhecimento dos ritmos utilizados.



Dança da Rosa :Elemento terra. Representa o amor, a beleza, a conquista, sedução e a sensualidade. A rosa é a beleza interior e a beleza exterior. A rosa vermelha na boca que os ciganos costumam levar em suas danças – presa entre os dentes – levam para presentear a mulher que está envolvida na dança. As alianças para os ciganos são simbolizadas por duas rosas vermelhas, em seus casamentos.







 Dança das fitas coloridas: Elemento água representa as lágrimas de alegria e tristeza derrubadas pelo povo Cigano. Não o lamento, mas também a comemoração. Representa a limpeza, alegria e infantilidade. Dançar com fitas é quase uma brincadeira de criança, alegra qualquer tipo de ambiente, festeja os nascimentos e casamentos, os movimentos das fitas rodopiantes manifestam o ritmo da vida e a alegria de fazer parte dela. As fitas são mais utilizadas nos ritmos “rons”, porém conforme o que se quer passar a dança se adéqua a qualquer ritmo alegre.



 Dança das tochas: Mostra a fúria e o poder do fogo através das tochas acesas que reverenciam este elemento. Representa a purificação e a limpeza pelo fogo. Neste caso específico, pode também ser utilizado um candelabro pela dançarina. 






Dança dos sete véus: Para os ciganos essa dança representa uma despedida de solteiro. E os véus coloridos representam as sete cores do arco-íris, simbolizando o amor e a sensualidade. As cores dos véus representam os quatro elementos.



 Dança do punhal: Elementos ar e terra. Significa lutas, disputas, fúria e pode simbolizar a limpeza do ambiente e do corpo. Representa o corte, a força e a limpeza. Dança da Espada: Elemento ar e terra. Representa luta, guerreira, batalhadora. Usa-se movimentos semelhantes aos movimentos do punhal. 






Dança do xale: representa o mistério e a magia do elemento fogo. Dançar com o xale representa agradecer todas as dádivas ao criador, a sua força, o poder de ser mãe, o poder de seduzir o seu amor e também proteção e família. É usar toda poesia, força e magia. Nunca deixe outra pessoa pegar o xale, não derrubar, pois ele é a sua essência feminina. Enfim, dançar com o xale é agradecer, exibir e proteger suas estrelas.

A Dança

A DANÇA 
Somos um povo alegre, cheio de energia e grande dose de passionalidade. A dança e a música fazem parte de nossas almas, “nascem” com cada de nós e correm nossas veias como nosso sangue. Nunca dançamos por obrigação, mas pelo puro prazer. 

 OBJETIVOS DA DANÇA As danças são atividades físicas e, em geral, trazem benefícios ao corpo. Pode se perder calorias em excesso, melhorar a postura corporal, aumentar a capacidade respiratória, desenvolver e tonificar a musculatura. Porém, a dança cigana em particular, além de trabalhar esses aspectos, busca integrar a mente ao corpo para que este se torne ainda mais saudável e equilibrado. 

 INFLUÊNCIAS E VARIAÇÕES DE ESTILO NA DANÇA CIGANA Os movimentos observados na dança cigana são resultantes da sua influência indiana, onde o girar das mãos, a inclinação da cabeça e a postura ereta chamam atenção. Além disso, as características assimiladas em diferentes regiões do mundo por onde os ciganos passaram levam a uma divisão por estilos, que segue o mesmo padrão dos clãs. Dentre os mais “populares” vemos o Kalón, cuja musicalidade se assemelha ao flamenco e à rumba e é oriundo da Europa Ocidental. 

DANÇA CIGANA FEMININA ESTILO ROM (romanê) Nesta dança os movimentos são baseados da cintura para cima, meneios de ombros, inclinação da cabeça, giro de punhos e mãos, postura ereta, braços à frente do corpo ou acima da cabeça e movimentos que completem sempre círculos (para os ciganos a vida é um ciclo). E sempre será um ciclo. 


 Para facilitar a interação Terra/Céu, dançam descalços. O que se pode verificar, porém, é que a cigana, embora tenha movimentos aparentemente sensuais,ela é pudica, e jamais veremos além de seus tornozelos nos seus rodopios e meneios. Para evitar acidentes durante o bailado e coreografias,as ciganas usam sobre-saias até em número de sete. Daí, ciganas estereotipadas como as das novelas e filmes nada têm a ver com a realidade. Na dança, o cigano procura desenvolver uma relação telúrica,conectar-se com a natureza e deixar fluir para a superfície física do ser,todos os sentimentos mais íntimos. Assim, nota-se perfeitamente o sinal de êxtase de uma cigana ao rodopiar e fazer seus movimentos gentis, ao sacudir seu pandeiro ou ao som do atrito das castanholas. Para os ciganos, dançar é celebrar a vida e se ligar a Deus.

A dança dos ciganos

Quem nunca nos viu dançando, não tem noção da magia contida em nossa dança. Através de nossa dança , agradecemos a Deus por tudo e todos que nos rodeiam. A dança é nossa oração que nos faz ser embalados por essa força gigantesca que move esse universo. É quando na magia que nos envolve podemos mostrar nosso ser e quem somos, nossos sentimentos, sonhos, a sabedoria de acordo com nossa jornada e o quanto ainda temos que caminhar para que possamos alcançar uma comunhão sagrada com a Mãe Terra e todos que habitam sobre ela. Sou Filha do Vento, sou de um todo, sou do Universo. Sou cigana, minha dança é minha alegria, assim como o sangue corre em minhas veias,a dança é o vento que me embala, que me conduz, que faz de mim parte de você. Venha comigo, feche os olhos e sinta a magia lhe envolver, feche os olhos, sinta seu coração pulsar, sinta o despertar, sinta os acordes da canção que lhe chama. Respire fundo,venha e se entregue para o vento. Que os violinos toquem uma canção. A cigana irá dançar ao vento.

Cigano Ramires

No dia 24 de maio de 1577, o velho cigano Bergem casou-se com a jovem cigana Gênova, formando assim, mais uma família cigana. No dia 28 de maio de 1578 nasceu a primeira filha do casal, que levou o nome de Huélva. O casal era muito feliz com sua pequena filha. Algum tempo depois, Gênova engravidou novamente e, no dia 24 de junho de 1580, para completar a felicidade do casal, nasceu um menino, no qual Gênova colocou o nome de Ramires. Assim se completou o grupo familiar de Bergem e Gênova, formado por quatro pessoas. Bergem era muito mais velho do que sua esposa, mas eles eram um exemplo de felicidade e amor. Quando Ramires estava com quatro anos, no ano de 1584, sua família ia para Madri e, no meio da viagem, o tempo mudou e caiu uma forte tempestade. As carroças do comboio deslizavam na estrada cheia de lama e poças d’água; a escuridão era imensa. Em dado momento, todos escutaram um barulho muito forte: uma das carroças tinha virado. Era um quadro desesperador. O velho cigano Bergem, sua jovem esposa Gênova, sua filha Huélva, de apenas seis anos, e seu filho Ramires, de apenas quatro anos de idade, estavam debaixo da carroça. O cigano Pedrovik, irmão de Bergem e chefe do grupo, veio logo socorrer o irmão e sua família; mas, infelizmente, não pôde fazer mais nada, além de desvirar a carroça e colocar dentro dela os corpos do irmão, da cunhada e da sobrinha. Só o sobrinho estava vivo, sem nenhum arranhão no corpinho. Pedrovik tomou conta de pequeno Ramires que, daquele dia em diante, tornou-se uma criança diferente. Ele ficava sempre isolado, vivia só, seu comportamento era bem distinto do dos outros meninos do grupo. O tempo foi passando. Ramires tornou-se homem feito. Mas era de poucas palavras, seu comportamento continuava estranho, não mudara nada desde o tempo de criança, quando ficava isolado de todos. Certo dia, seu tio Pedrovik chamou-o na tenda e disse: “- Vamos conversar, meu filho. Já és um homem eu decidi que irás casar com a minha protegida Zanair, neta da falecida Zaira.” Ramires não teve escolha e assim foi concretizado o casamento, no dia 8 de abril de 1610, quando era plena primavera em Madri. O casamento, realizado por Pedrovik, seguiu o ritual tradicional. Zanair estava belíssima com uma túnica rebordada de pedras reluzentes, a saia muito rodada que reluzia com os reflexos da fogueira, e uma coroa de flores naturais em tons claros na cabeça. Depois de realizado o ritual de união dos dois, Pedrovik deu ao casal dois potes cheios de grãos, para que nunca faltasse alimento na sua tenda. Em seguida, Zimbia Taram, uma cigana idosa do grupo, cortou um fio de cabelo de Ramires e outro de Zanair; colocou-os dentro de um copo de cristal junto com os fios de crina de cavalo e de égua e outros objetos; e fez a magia do amor para que sempre houvesse sexo entre o casal, e para que eles tivessem muitos filhos. Passados nove meses do casamento, Zanair deu à luz um lindo menino, a quem deu o nome de Izalon; e de ano em ano ela dava à luz mais um filho. Ela teve ao todo nove filhos, três meninos e seis meninas, que nasceram na seguinte ordem: Izalon, Pogiana, Tarim, Tainara, Tamíris, Diego, Thaís, Lemiza e Talita. O fundo do coração de Ramires sempre foi um mistério. Ele teve de se adaptar à vida de família, superando muitos traumas da infância; entretanto, a seu modo, foi um esposo carinhoso. Foi também um ótimo pai, e criou seus filhos com muito amor e carinho. Os membros dessa família desceram pela primeira vez à Terra como espíritos no ano de 1910.. Esse cigano era moreno-claro, de cabelos pretos lisos e olhos esverdeados. SUAS ROUPAS A roupa preferida de Ramires era blusão branco com mangas compridas fechadas por abotoaduras de ouro em forma de botões. Por cima desse blusão ele usava um colete de veludo verde rebordado com pedrinhas coloridas. Na cintura trazia uma faixa dourada, na qual prendia o seu punhal de prata com cabo de esmeralda. Sua calça era de veludo azul-turquesa. SEUS ADEREÇOS Ramires costumava usar na cabeça um lenço vermelho amarrado para o lado esquerdo. Na orelha direita trazia uma pequena argola de ouro; e no pescoço, um cordão de ouro com uma moeda de ouro antiga como pingente. SUA MAGIA Ramires fazia magia com dois espelhos em forma de triangulo. Ele os colocava no chão, um deles com uma das pontas voltadas para o Sul. Em cada ponta desses espelhos ele acendia uma vela branca e, no meio deles, colocava um copo com água e um cravo branco. Em seguida, ele pedia a Diuela que curasse uma pessoa doente. A fase da Lua da sua preferência era a cheia. Fonte: Ciganos do Passado Espíritos do Presente – Ana da Cigana Natasha - Editora PALLAS.

Irmãos das estrelas...

Ciganos,flores de luz
.Estrelas que iluminam o mundo,
Zíngaros encantados e andarilhos,
Guardam em suas almas
O sabor do mel
E o mistério do fel.
Lenda verdadeira,
Sonho que não termina,
Eles são eternas saudades
Na fantasia do viver.
Cavaleiros,corajosos...
Apadrinhados pela lua,
Fazem gritar os violinos num lamento.
Nas fogueiras encontram luz.
Nos punhais,a força.
Reveladores do destino,
Foram soprados ao vento no mundo
Como mensageiros de Deus.




retirado do blog Luna de kali

Sangue Cigano.....

Encantado sejas sangue cigano
Único responsável pela magia
Que encanta meu povo.
Bendita seja mulher cigana
Que carregas no sangue séculos de dor
Que semeado em teu ventre vai nosso povo.
Basta teu olhar, para derramar o encanto que
nos cerca e nos traz vivos até agora.
Com tua graça e tua dança remontas nossa
história e nossos costumes.
Com tuas mãos carregas nossas crianças e
nossa tradição.
Com teu sorriso fascinas o ar de qualquer lugar
Com teus pés caminhas como leal escudeira
pelo mundo.
Musa encantadora faz dos ciganos homens
premiados por Deus.
Portadora da magia e das sábias palavras que
movimentam os dons tão propagados
Sangue Cigano
Orgulho de nosso povo
Mistério no mundo
De amor profundo.
(Walodia - Nélson Pires Filho - livro: Ciganos rom-Um povo sem fronteiras)